Cyanobacteria – O que fazer?!

Mais cedo ou mais tarde, com maior ou menor extensão, todos os aquários de recife se deparam com este problema…o desenvolvimento das inestéticas cianobacterias. Estas muitas vezes confundidas com algas, são de facto bactérias, mas especiais, pois são bacterias que realizam fotossíntese, tal como as plantas e as algas, ou sejam retiram energia da luz, produzindo oxigénio. Apesar de serem muito chatas e um pesadelo para os aquarios de Reef foram muito importantes no inicio da vida da Terra…

As cianobacterias aparecem geralmente, não no inicio de vida do aquario, mas sim mais tarde, quando começam a acumular-se mais nutrientes, que não são suficientemente exportados para fora do aquário e ai elas acabam por surgir e desenvolverem-se! As condições propicias ao seu aparecimento e desenvolvimento são geralmente as seguintes:

  • luz impropria…,com uma cor mais para o amarelo tende a fomentar o crescimento de algas, nomeadamente as cianobacterias;
  • lâmpadas já demasiado velhas
  • fraca circulação
  • grande carga orgânica
  • introdução de água de osmose ou salgada com fosfatos/silicatos/nitratos

Assim as soluções passam sempre por resolver as causas e NUNCA, na minha opinião pelo uso de antibióticos que erradiquem as bactérias, como existem vários produtos comercias, que dizem que o fazem, sem qualquer problema para os corais e peixes…o que é falso…há imensos casos descritos de verdadeiras catástrofes após o uso destes produtos…assim o ideal é tentar encontrar a causa e solucioná-la!

Na nossa experiência os parâmetros e soluções mais decisivos são:

  • introdução de água de osmose com 0 ppm, isso implica o uso de osmose inversa com resinas que removam fosfatos/silicatos/nitratos que acabam sempre por passar pela membrana osmótica e uma constante monitorização dos ppm da água produzida! Assim que estes comecem a aumentar é hora de mudar as resinas…
  • baixar a carga orgânica…se há cianobacterias…quase de certeza que e/ou os fosfatos estarão elevados (+de 0,3) e/ou os nitratos (+de 5 ppm)…e assim é necessário intervir: aumentar TPAS, diminuir alimentação dos peixes, trocar de escumador, implementar um sistema mais eficiente de exportação de nutrientes
  • potenciar a limpeza do areão e da rocha viva quer através do aspirar das cianos e da RV, quer através do uso de produtos bacterianos que ajudam a consumir estes detritos! Neste campo a dupla da KoraZuch Zeozym e Zeoback ajuda mesmo…Dissolver o zeozym em água do aquario à parte, adicionar as respectivas gotas de zeoback e deixar a repousar durante 6-8h…depois adicionar no aquario…desligando o escumador durante 2h! Este tratamento promove o consumo de detritos…e ajuda de facto a eliminar as cianos juntamente com as medidas anteriores…

Foi esta a nossa experiência…Após alguns meses com esta praga…ficou resolvida…0 cianos!

Envio e transporte de corais

O transporte dos seres vivos de um Reef é um dos momentos mais delicados…Quer seja dos seus locais de colecta como das ilhas do Pacífico (Japão, Indonésia) ou das do Atlântico (Barbados, Republica Dominicana) para o distribuidor quer seja da loja até à nossa casa!! Assim 2 parâmetros são essenciais para que o transporte ocorra com sucesso:o nível de oxigénio na água e a temperatura da água!

Dois tipos de transporte devem ser distinguidos! O transporte de corais e o transporte de peixes/invertebrados. No transporte de corais o parâmetro temperatura é o mais importante a tentar manter, enquanto que no transporte de peixes, para além da temperatura também tem de haver uma grande disponibilidade de oxigénio.

O transporte entre continentes dos locais de colecta,nas ilhas paradisíacas, até às lojas, por exemplo na  Europa é feito por avião em que os vivos (peixes e corais) vêm em grandes caixas de esferovite! Estas caixas de esferovite permitem absorver pequenos choques físicos, mas sobretudo preservam a temperatura da água onde os vivos vão! Os vivos dentro das caixas vão dentro de sacos, individualmente, para não haver guerra química entre eles e não haver consumo excessivo de oxigénio. Estes sacos levam uma boa quantidade de água e outra boa quantidade de ar ou oxigénio (de botija), dependendo se é um coral ou peixe, respectivamente. Estes transportes inter-continentais costumam demorar entre 24-48h, até chegarem à empresa importadora que os irá aclimatar de novo em aquários! Muitas vezes, dependendo da altura do ano, poderá colocar-se alguns pequenos sacos térmicos, que têm dentro alguns quimicos que reagem e libertam calor de uma forma controlada, ajudando assim que a temperatura dentro da caixa de mantenha durante mais tempo adequada (sobretudo no Inverno em países muito frios)!

Assim, quando estamos a transportar animais da loja onde compramos o ser vivo para nossa casa devemos ter em atenção estes 2 parâmetros: temperatura e oxigenio. Para tal devemos recorrer, se possível, às tais caixas de esferovite, pois são a melhor solução e a que nos garante que o ser vivo chega nas melhores condições a casa…pronto para a aclimatização a um ambiente totalmente novo…que representa um stress e desafio enorme para o ser vivo!!

Caso tal não seja possível…o ideal é usar uma caixa de papelão, cheia de papeis de jornal, bem como embrulhar, na medida do possível, o saco de plastico onde esta o ser vivo na água! Estas regras terão de ser ainda mais rigorosas no Inverno…pois a temperatura expterior é muito mais baixa que a temperatura da água! No Verão é mais facil e até se deve ter o cuidado para nao deixar sobreaquecer…como deixar a caixa com o ser vivo num local muito quente como num automóvel ao sol, por exemplo…

DIY Rede protecção aos saltos dos peixes

Em destaque

Desde há algum tempo que nos temos deparado com um problema grave de ter um aquario de estilo mais aberto e clean que é o de perder alguns peixes por saltarem para fora do mesmo em altura em que não está ninguem em casa para os socorrer…

Não perdemos muitos, pois são geralmente situações raras mas a perda de 1 único peixe, às vezes já com alguns anos, é sempre trágica… Assim, inicialmente optamos por colocar uma régua de acrilico a fazer de moldura para prevenir os saltos junto ao vidro. Com isto resolvemos a maioria dos saltos, mas mesmo assim ainda perdemos 1 ou outro peixe num periodo em que tivemos alguns desiquilibrios de parametros na agua e em que os peixes andavam mais nervosos!!

Após várias pesquisas nessa enciclopédia que o website ReefCentral.com, o maior forum americano de aquariofilia de Reef encontramos muitas pessoas a colocar redes, com uma malha suficientemente apertada para evitar que a esmagadora maioria dos peixes não passa através dela e larga o suficiente para não bloquear a luz, nem as trocas gasosas entre a água e o ar exterior, bem como a refrigeração, no periodo de Verão, ficasse comprometida.

Rede protecao

Assim fizemos uma moldura de acrilico ao qual prendemos a rede, de maneira a que se possa trocar a rede quando esta já não estiver nas melhores condições (o que até ver não é necessário…vai durar pra sempre lol). Além disso permite aceder facilemente ao aquário para alimentar os peixes ou fazer qualquer intervenção, pois pode-se colocar/retirar facilmente!

pino rede protecao

Reef Wide 2012 Feature Image

Com isto, para já conseguimos evitar mais saltos em seco…se bem que já tivemos alguns peixes mais pequenos, os inevitáveis wrassles, a atravessar a rede…ficarem aos pulos nela…e depois lá demos um jeito para eles voltarem para o aquario (quando estavamos presentes)!!…. Sem estarmos presentes, é provável que o tenham conseguido sozinhos, pois não perdemos qualquer peixe desde a sua colocação!!!

O futuro o dirá se a Rede foi uma boa aposta mas para já estamos satisfeitos!!

Prós

  • peixes médios e grandes não saltam fora do aquario (geralmente os adorados Tangs)
  • peixes pequenos têm mais hipoteses de, saltando fora, voltar ao aquario!
  • não afecta a luz da calha sobre todo o aquario
  • não afecta as trocas gasosas e de temperatura
  • não se perde a visão superior da água sobre o aquario

Contras

  • poderá ser menos estético, mas sendo preta a rede e muito fina, mal se nota
  • não é 100% eficaz a evitar os saltos…só encaixotando o aquario…

Osmose Inversa Aquatronica OXYPURE XL 75GPD

Em destaque

Aquatronica OXYPURE XL 75GPD

Com o passar dos anos resolvemos apostar num sistema de osmose mais adequado e que permitisse tanto produzir mais quantidade de água de osmose mas também que fosse de facto de uma qualidade superior.

Pela nossa experiência, observamos que cada vez que havia um aumento de algas no aquario, superior ao normal, descrobriamos mais tarde com o medidor de ppm’s portatil que a unidade de osmose já estava a ficar saturada e a produzir água com ppms superriores a 0… O problema das algas era normalmente tanto maior quanto mais tarde descobriamos que o cartucho das resinas ou da membrana estava a precisar de ser subtituido…com ppm’ de 5-15pppm! Estes PPM’s reflectirão sobretudo nitratos/fosfatos/silicatos que acabam por passar na membrana osmótica, bem como, possivelmente, alguns metais pesados, uma vez que nestas situações tinhamos perdas de tecido em alguns SPS…(poderá ser por outras razões, é claro).

Por esta razão a compra de uma boa unidade de osmose….sempre com resinas para remover fosfatos/nitratos/silicatos…tornou se um investimento a fazer!

Apostamos na Aquatronica OXYPURE XL 75GPD

Esta unidade da Aquatronica pareceu-nos uma boa aposta pelas seguintes razões:

  • monitorização in-line dos ppm da água de entrada e de saida da osmose
  • canisters grandes que permite uma maior durabilidade dos cartuchos
  • 5 filtros asseguram uma agua de 0 ppm no fim da linha e uma longevidade dos cartuchos devido aos cartuchos de 5 micra, para 1micra, para carvão, para membrana osmótica e resinas no fim
  • o ultimo filtro de resinas, possui uma resina que muda de côr à medida que fica saturada…ajuda visualmente a ver quando será necessário substituir
  • boa construção, com elementos metalicos e manometro de pressão
  • ser feito por intermédio de uma boa marca de osmoses profissionais
  • supostamente usar umas novas membranas que duram 20% mais…

Mas…para além disto decidimos também depois de mais alguma pesquisa na ReffCentral.Com e noutros foruns adicionar uma Booster Pump….que basicamente é uma bomba que se acrescenta à osmose com o objectivo de aumentar a pressão e assim conseguir obter uma relação entre agua de osmose (boa) e água excluida (desperdiçada) muito melhor…perto de 1:1…poupando-se assim na conta da água!

Esta opção não está prevista na osmose da Aquatronica mas está prevista nas osmoses da Empresa mãe Forwater (link tem detalhes tecnicos da unidade)!

Pump Osmosis

De facto a instação da bomba revelou se uma mais valia…conseguimos uma relção perto de 1:1 e produzir muito mais agua por dia… Produz cerca de 24l/h…ou seja o dobro do que sem bomba!!

Aquaronica Oxipure montada

Quase 6meses depois de a termos instalado…tudo a correr normalmente…ppm’s continuam a 0! A resina ainda falta bastante para ficar saturada, o cartucho de 5micra esta a ficar sujo já, mas o de 1 micra parece ok! Muito Satisfeito até ao momento!!

Galeria

Erros/Lições dos ultimos 3 anos de Reef

Em destaque

Nunca usar GFO na quantidade anunciada pela marca

seja pelo facto de diminuir os niveis de fosfatos bruscamente ou de libertar ferro, a entrada de GFO provoca RTN em calendriuns/pocciloporas… – No nosso caso o uso de GFO, mesmo em quantidades muito pequenas parece provocar sempre esse efeito inicial… (perdi algumas calendrium, histrix e poccilopora à conta disso)…apos retirar o GFO e algumas TPAS o rtn fica restringido às colonias que começaram!!

Ter sempre medidores de valores de 2 marcas

Porque? Porque há sempre variações entre marcas e nunca sabemos qual é o mais acertado, mas sobretudo porque nos podemos deparar com um teste estragado ou não funcional, sem sabermos!! Foi o que nos aconteceu…Durante meses os nossos nitratos supostamente estariam a 1-2ppm…mas quando trocamos por reagentes novos descobrimos que afinal os nitratos estavam a 30 ppm… Passei a ter medidores de 2 marcas que vou alternando ou meço os valores como controlo do sal que faço, da Red Sea, que sei os valores que é suposto ter de todos os parâmetros!

Não usar UV 24/24h …

apesar de ser util para a manutenção dos peixes saudáveis e livres de doenças, parece ser prejudicial ao corais, SPS e LPS, pelo facto de matar muitas bacterias que supostamente serão alimentos deles! Penso que a nossa experiência também nos demonstrou isto ao longo destes anos!  Achoq eu convém na mesma ter UV para evitar surtos de doenças que se podem tornar fatais para todos os peixes, mas o ideal é ligar 24h quando entram peixes novos durante 1 semana e depois reduzir para apenas algumas horas por dia! No nosso caso temos tido sucesso assim…

Balling Light…tentar sempre manter os valores: Ca 400, Mg1250, Kh 8

Valores de Ca muitos elevados na ordem dos 500 geralmente provocam morte de alguns corais!! Na nossa experiência é sempre preferivel ter valores mais baixos do que valores muito altos de KH e Ca… Tivemos um episodio de descontrolo de Ca e KH que atingiram valores de 500 e tal e de 10 ou 11 que provocaram a morte de alguns SPS…Istoa conteceu a seguir a um episodio de AEFW que nos atacou as acroporas e assim dimuiu os consumos bruscamente…

TPAS, TPAS, TPAS….quantas mais melhor

Mas sempre com os parametros iguais aos que temos ou queremos manter no aquario, caso contrario desiquilibra-se a adicções de balling! Dai que a escolha de um sal que tenha os valores ideias de agua de um Reef seja imperativo!! Nós usamos neste momento o sal Red Sea normal! No passado, com a introduçao do novo sal da Red Sea Coral Pro que apresenta valores muito elevados de KH (12) e de Ca (480), a 1,025 provoco nos um desequilibrio de valores no aquario que levou a perda de varios corais!!! Entre 10-20% por semana é o que faço agora com bons resultados.

Aspirar areão e sump pelo menos 1 vez por mês

De facto o não aspirar do areão, seja ele de 1 ou 3/4cm, leva ao acumular de muitos detritos que não chegam a à sump e dessa maneira não são retirados nem pelo escumador, nem pelo filter-bag! Assim é essencial aspira-lo com pelo menos 1 vez por mes, em todas as areas que se conseguir. O aspirador da Hagen é de facto muito facil de usar e eficaz e pode-se mesmo ver a quantidade de sujidade que se acumula no areão quando se está a aspirar…

Alimentar LPS/SPS com comida natural e não suplementos

A utilização de suplementos na alimentação de corais deve ser evitadas pois muitos deles apesar de alimentarem bem têm o reverso da medalha que é aumentarem muito os niveis de nutrientes na água, como fosfatos e nitratos a níveis intoleráveis! Assim de acordo com a nossa experiência a alimentação dos LPS basta ser feita apenas 1 vez por semana, no periodo da noite do aquario, com um mix de comida congelada (cyclops, rotiferos, red plankton, artemia), em que previamente se tenha retirado o excesso de liquido que contem fosfatos dispensaveis! Os SPS acabam por se alimentar também dos restos desta sopa bem como dos detritos dos peixes e dos restos de comida dos peixes! A alimentação dos SPS pode quando muito ser completada com a adição de phytplanton vivo , mas com cuidado para não sobrecarregar o aquario de nutrientes!

Eficiente exportação de nutrientes (nitratos/fosfatos)

Muito importante a longo prazo…ao inicio as tpas e um bom escumador vão resolvendo o assunto, mas com o passar dos meses e acumulação de detritos, mesmo com limpezas, começa a não ser suficiente e daí ser uma desafio muito grande manter um aquário durante vários anos!! Na nossa experiência optamos por colocar macroalga Chamaetomorpha e mangues na sump para ajudar nesta remoçao de nutrientes mas mesmos assim com o passar do tempo vimos que não era suficiente, apesar de ajudar muito e ser uma grande almofada! Assim a utilização de bacterias e doseamento de carbono, quer sob a forma de vodka, vinagre, biopellets ou soluções comerciais parece ser uma das melhores opções para este fim… Qual das melhores…é dificil dizer! Nós usámos e estamos a usar neste momento uma solução comercial (Ultralife da Ocenalife…diria que será vodka/vinagre) que se tem revelado bastante eficaz na diminuição de nitratos e fosfatos com a adição de cerca de 8-11 gotas diarias!! Mas cuidado que o exagero nesta doseagem de carbono pode retirar demasiados nutrientes deixandos os corais “à fome”… corais pálidos, LPS mirrados e a morrer e anémonas stressadas…assim MUITA ATENÇÃO no doseamento….DEVAGAR e sempre a vigiar os valores de nitratos e fosfatos.

Ocellaris – Quadricolor

Ocelaris -Quadricolor